Sunday, April 25, 2010

A Revolução dos Cravos

Faço minhas as palavras da Nancy:

Entristece-me ver a indiferença da juventude de hoje em dia em relação ao 25 de Abril. Revolta-me um pouco. Não valorizam este dia, mijando assim em cima de um valor por sua vez chamado liberdade. Muitos que eu conheço nem sabem quem foi Salgueiro Maia. Isso choca-me imensamente. Continua a ser um grande herói para mim. Já não se fazem Homens como ele, com tanta coragem, determinação, ideais. Isso não existe hoje. A coragem resignou-se de tal forma e feitio que chegamos a este ponto crítico e as pessoas continuam a votar no Sócrates. É por estas e por outras. Esta geração constitui a perdição.



No Banho 29, no Dia da Cidade e até na passagem de ano há sempre fogos-de-artíficio. Porém, no 25 de Abril, nada. Será que já ninguém o festeja, o honra, o celebra? Só assimilam a data a um mero feriado?...


Madrugada de 25 de Abril de 74, parada da Escola Prática de Cavalaria, em Santarém:


"Meus senhores, como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados sociais, os corporativos e o estado a que chegámos. Ora, nesta noite solene, vamos acabar com o estado a que chegámos! De maneira que, quem quiser vir comigo, vamos para Lisboa e acabamos com isto. Quem for voluntário, sai e forma. Quem não quiser sair, fica aqui!"


Todos os 240 homens que ouviram estas palavras, ditas da forma serena mas firme, tão característica de Salgueiro Maia, formaram de imediato à sua frente.Depois seguiram para Lisboa e marcharam sobre a ditadura.

Retirado do blog da Nance : http://nancywilde.blogspot.com/

No comments:

Post a Comment