Friday, March 23, 2012

Manifestações há muitas ó palerma!


E esta, meus amigos, é a fotografia mais conhecida da actualidade portuguesa. E este texto, meus amigos, é a minha opinião sobre tal assunto.

É assim meus caríssimos: ninguém é inocente. Esta onda que se está a gerar anti-policia ou anti-corpo-de-intervenção e que eles é que são o mal do mundo acho um exagero completo. Se agiram mal? Sim...MAS! (há sempre um mas) Houveram razões para agir assim tão agressivamente? Se calhar.

Passo-me a explicar - os policias não sacaram do bastão assim do nada e puseram-se a bater nas pessoas....se tiverem lido ou visto as notícias sabem que tudo começou com os "petardos" e que os policias (mesmo antes de se começarem a passar) levaram com pedras da calçada e com tudo o que havia na esplanada da Brasileira. Não culpo os manifestantes, não senhora. Mas digo e afirmo que nestas manifestações há sempre atrasados-mentais que só lá estão para armar confusão. E assim pessoas inocentes levam por tabela. Tentem ver da perspectiva do policia - centenas de pessoas, umas agressivas, provocações verbais e fisícas, adrenalina e não sei que mais, provavelmente a autoridade dá ordens ao povinho: "afastem-se" ou "encostem-se à parede", provavelmente uns quantos chicos-espertos decidiram desobedecer - violência foi utilizada. E NÃO ESTOU A DEFENDER A VIOLÊNCIA VINDA DA PARTE DOS POLICIAS. Tal como há atrasados-mentais no meio dos manifestantes, certamente haverá atrasados-mentais no meio do Corpo de Intervenção com testosterona a mais. E esses policias que ultrapassaram as marcas ao bater em jornalistas ou outros inocentes deviam ser castigados. Agora aqueles que deram umas cacetadas nuns anormais que lhes andavam a mandar chávenas, só fizeram o seu trabalho pois têm todo o direito de se proteger.

Agora não vamos fazer de todos os policias os culpados disto tudo. Eles são a autoridade! Se algum policia nos diz para sair da frente, nós temos de obedecer. Se não houvesse autoridade era a anarquia e o caos. É chato mas tem de ser. E sim, há abuso de autoridade e já disse que não sou a favor disso. A minha opinião em relação à manifestação é neutra - não culpo uns nem outros - mas houve realmente muita agressão vinda dos policias relativamente aos jornalistas e apoio que devam ser castigados. Agora não perco a confiança nos policias de Portugal porque senão não poderia confiar em mais ninguém para me proteger.

E depois vejo pessoas no Facebook a dizer que isto precisava era de uma ETA ou "vamos partir tudo" e tipo...ya...bora combater violência com violência que isso é tão diferente do policia anormal que bateu na fotógrafa!
Acalmem-se Guy Fawkes...há outros caminhos mais pacíficos para se manifestarem.

Xoxo
Cláudia Betes
(desculpem se feri susceptibilidades)

2 comments:

  1. Obrigada pelo esclarecimento! Eu, que estou para aqui longe do epicentro da emoção, realmente só vi essa imagem e de facto, tirando do contexto, a coisa parece muito feia.
    Mas estou contigo: gente estúpida e indisciplinada há por todo lado.
    E muito francamente, tendo em conta imagens que se vêm das manifestações da Grécia... muito bem nos portamos nós, em que só se partiu a cabeça a um gajo que andava feito parvo a tirar fotos ali no meu das pedras voadoras!
    Quem vai à guerra, dá e leva! Não queres levar... fica em casa!

    ReplyDelete
  2. Está um post deveras interessante, só não gostei de ver o verbo haver maltratado. Houveram só se utiliza quando o verbo haver tem o sentido de ter e não de existir. No sentido de existir, o verbo haver é, pois, sempre impessoal: não tem sujeito e, por isso, apenas se emprega na 3.ª pessoa do singular. «Houve deputados que votaram em branco» e não: «"houveram" deputados...»... lamento.

    ReplyDelete